Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estudar Em Casa, Enquanto Tudo Passa

Estudar Em Casa, Enquanto Tudo Passa

Desafio da RTP: Texto Descritivo (com 5 adjetivos e três advérbios, pelo menos)

Maio 24, 2020

agrupamentodeescolasdespedrodacova

 

 

Ricardo Moreira 6º D nº 16

Quando fui de férias para o Algarve com os meus pais e o meu irmão, decidimos passar um dia no Zoomarine.
Quando chegámos, havia imensas pessoas e estava um dia muito quente.
Rapidamente entrámos e fomos ver o espetáculo de golfinhos. Eles eram lindos e divertidos.
Quando acabou, fomos para os divertimentos, onde eu realmente me diverti muito, mas o que eu mais gostei foi da piscina com ondas. A água era muito quente e limpa.
Andei também na roda gigante. de cima, via uma paisagem muito bonita, mas tive um pouco de medo.
Vimos também outros espetáculos bem engraçados.
O espetáculo dos piratas foi divertido, porque tinha um anão que só fazia disparates e coisas engraçadas.
Foi sem dúvida um dia espetacular!

Desafio da RTP Memória: Relata um sonho.

Maio 20, 2020

agrupamentodeescolasdespedrodacova

 


Eu quase nunca me lembro dos sonhos. Mas, uma noite sonhei que estava na escola, e era tudo muito estranho, porque os pavilhões e as salas de aulas eram diferentes daquilo que são na realidade. Eu queria ir para a aula e não sabia como fazer.
Quando consegui entrar numa sala de aula, foi tudo muito surreal, porque não estavam lá os meus colegas e a professora era uma pessoa que eu não conhecia. Então pedi ajuda para que eu pudesse ir para junto da minha turma.
De repente, já tinha alguns colegas à minha beira, e então senti-me mais tranquilo, mas sempre sem conhecer muito bem o sitio onde estava.
Na verdade foi um sonho muito bizarro.

Ricardo Moreira, 6ºD

 

Eu sonhei que tinha acordado numa floresta mágica e  tinha conhecido uma fada. Esta era simpática, e gostava muito de ajudar os outros. Eu perguntei- lhe onde é que eu estava. Ela disse-me que era uma fada e que não fazia mal a ninguém, pelo contrário, ela gostava de ajudar as pessoas. Depois ofereceu-se para me apresentar a floresta mágica. Era linda. 

De repente, apareceu uma bruxa que era muito má, pois só queria a infelicidade dos outros. Ela esteve a explicar por que razão era assim tão má:  nunca tinha sido feliz, na sua infância. Por isso, só desejava infelicidade a toda a gente.
Conversámos umas com as outras, e a bruxa percebeu que o importante era ser feliz, agora. Ela disse que ia mudar e que ia ser mais simpática com as pessoas. Deu um abraço à fada e a mim. Foi aí que eu acordei, e percebi que tinha sido tudo um sonho.

Mariana Almeida, 6ºD

 

 

Desafio: Eu sou um objeto

Maio 14, 2020

agrupamentodeescolasdespedrodacova

 

 

Eu sou um carro BMW i8, cinza claro, e de cinco lugares. Pertenço a uma família de quatro pessoas, dois adultos e dois meninos.
Eu estava habituado a sair todos os dias da garagem, para levar os meninos às escolas, a mãe deles para o trabalho, e no final do dia ir buscá-los a casa da avó, para os levar para casa.
Os fins de semana, esses é que eram bons, saíamos muitas vezes para passear e para ir ao parque. Era tão bom ver os meninos a brincar e divertirem-se.
Mas, agora tudo é muito diferente. Ouvi uma conversa no meu interior sobre um vírus que apareceu e deixa as pessoas doentes. Ouvi que agora todos têm de ficar em casa. Então, tudo mudou.
Tenho estado um pouco triste, pois passo muitos dias na garagem, sem sair. De vez em quando, o meu dono abre a garagem e, então, tudo muda: eu vejo a luz do dia e penso “ Lá vou eu passear!”, mas são sempre passeios muito curtos.
Na garagem, vejo sempre as mesmas coisas nas prateleiras: as ferramentas e alguns caixotes com brinquedos. Esses caixotes costumavam ser usados muitas vezes pelos meninos, mas agora não saem do sítio. No chão, mesmo ao pé de mim, estão as bicicletas, paradas como eu. Ainda me lembro da alegria que era sempre que vinham buscá-las. A bicicleta mais pequenina é amarela, e a maior cor de laranja.
A minha companhia tem sido uma aranha que está na parede há imenso tempo. Ela quer sair, mas como a garagem quase não se abre, ela não sai.
Tenho saudades de sair todos os dias e de levar os meus amigos à escola para eles aprenderem e estarem com os seus amigos.
Espero que isto passe rápido, para podermos fazer tudo o que fazíamos antes, principalmente levar os meninos ao parque, para brincarem, divertirem-se, e eu, ao longe, ouvir os seus risos.

Ricardo Moreira, 6ºD

Eu sou um telemóvel, um iPhone 8 Plus, e estou a ficar farto de ser usado! A minha utilizadora chama-se Catarina, e tem 15 anos.
Ultimamente estamos de quarentena ou qualquer coisa do género, por causa de um vírus, e sei que ele é muito perigoso pelo que a Catarina fala tanto com as amigas. É um tal de Coronavírus e o seu amigo covid-19. Ainda não sei direito se são 2 ou 1 vírus, é muito confuso.
Toda a gente é obrigada a ficar em casa e, por isso mesmo, ela não para de me usar. Eu acho que está viciada. A mãe dela até já me escondeu numa gaveta, durante 1 semana, mas ela não me deixa em paz! Para vos mostrar melhor o nível do vício dela, passa 10 horas comigo, e durante as outras 14h, está a dormir ou a comer.
Nem sempre ela me usa para falar, ela usa-me também para aprender, e é estranho o facto de um professor estar no outro lado da tela.
Mesmo assim estou farto disto, até às vezes aproveito para me auto desligar, mas não contem a ninguém! Enquanto estou na minha gaveta, ela está com o meu amigo computador (aquele com o qual eu passo os dias).
Hoje, graças a Deus, um milagre aconteceu: eu fui trocado! Sim, eu fui trocado! A madrinha da Catarina deu-lhe outro telemóvel, e eu não vou ser usado tanto. Já o meu amigo computador tem de se habituar ao novo telemóvel dela.
Enquanto isso, estou eu na minha caixa a ver imagens ao Dubai, no google!
Lembrem-se de dar um descanso ao vosso telemóvel!

Mara Pinto, 6ºD

 

Eu sou um livro de escola. Quando os alunos me abrem, eu fico feliz, porque percebo que eles estão a estudar e a aprender.  Gosto de ser um manual, porque eu só quero que eles sejam alguém no futuro. Quero ajudá-los a preparar-se para os testes e exames, porque em mim encontram o que é necessário para  tirarem boas notas, e os seus pais  ficarem felizes.
Sou um bom amigo.

Mariana Almeida, 6ºD

 

 

Desafio: És Asa ou Casa?

Maio 11, 2020

agrupamentodeescolasdespedrodacova

 

 

Eu sou mais Asa do que Casa, porque adoro fazer muitas atividades ao ar livre.
Junto à casa da minha avó há um campo de futebol, e eu gosto de jogar lá com os meus amigos. Também amo andar de bicicleta com o meu pai, pois é sempre muito divertido. Além disso, adoro ir às aulas de natação.
Aos fins-de-semana, aprecio passeios em família e os piqueniques que fazemos no verão. E gosto da escola para estar com os meus amigos e professores.

Ricardo Moreira, 6ºD

 

Sou Asa e sou Casa.  Gosto muito de passear ao ar livre nos dias de bom tempo, ir à praia, correr pelos parques, respirar  o ar puro e ouvir os passarinhos a cantar pela manhã. Quando for maior, irei dar a volta ao mundo. Mas também gosto de ser casa, porque nos dias mais cinzentos fico sentada no sofá a ver um pouco de televisão, também faço jogos com os meus pais e assim vou passando os dias. Ser casa também significa o conforto e o aconchego do meu lar,  com as pessoas que gosto, como se fosse o meu porto de abrigo.

Inês Cardoso, 5ºE
 

Considero-me uma pessoa Casa, porque quero criar raízes num lugar certo.Por mim, viveria sempre com os meus pais e a minha irmã, pois é aqui que me sinto confortável. Não tenho o sonho de ir viver para outro país, pois adoro o meu  e não me imagino a viver longe da minha família. Assim sendo, apesar de gostar de viajar e conhecer outras terras, gosto sempre de voltar ao meu país e à minha casa.

Gonçalo Ribeiro, 5ºE

 

Umas Asas vêm todas as noites a minha casa. Sentam-se à minha porta e aconchegam a minha cabeça. Na minha casa, entra a sua luz:  é um anjo. Ele diz que na minha casa há um espaço bonito: o quintal, e então coloca as suas Asas sobre uma ameixoeira e fala comigo. Ficamos ali a conversar, o Anjo sorri para mim, e com as suas asas enormes dá-me um abraço do tamanho do mundo. Então aquela luz fica sempre sobre a minha casa e faz-me companhia todas as noites, para nunca me sentir sozinha.

Iara Couto, 6ºD

 

Eu sou mais Asa. Gostava de passear, conhecer mundo, aprender novas culturas.
O mundo tem coisas fabulosas! Coisas como a Torre Eiffel, Taj Mahal, as Pirâmides do Egito, as auroras boreais do norte da Europa e muito mais…
O mundo tem muito que conhecer. Nós somos pequenos, o mundo é Gigantesco.

Pedro Ribeiro, 5.E

 

Eu sou um bocado Asa, porque estive em muitos países, como Holanda e Brasil. Adorava ir à Torre Eiffel, Estátua da Liberdade, Sidney, Bahamas... Além disso, gosto de jantar fora,  ir para a praia e jogar à bola. 

Mas também sou Casa, porque eu fico mais à vontade se ficar em casa. É o meu  lar e onde mora o meu coração.

Lucas Dias,  5ºE

 

 

 

 

Desafio da RTP Memória, Português de 2º Ciclo: Pesquisa uma biografia à tua escolha

Maio 02, 2020

agrupamentodeescolasdespedrodacova

 

 

96085255_227168388725584_2111141292598624256_n.jpg

O Pedro Ribeiro do 5ºE escolheu fazer a biografia de Alice Vieira :

Alice de Jesus Vieira Vassalo Pereira da Fonseca (Lisboa, 20 de março de 1943) é uma escritora e jornalista profissional.

Licenciou-se em Filologia Germânica pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Dedicou-se desde cedo ao jornalismo, tendo trabalhado nos jornais Diário de Lisboa  (onde, juntamente com o seu marido, o jornalista e escritor Mário Castrim, dirigiu o suplemento "Juvenil"), Diário Popular e Diário de Notícias e colaborou durante muitos anos com a revista "Ativa" e o "Jornal de Notícias"

Atualmente colabora na revista Audácia, dos Missionários Combonianos e no "Jornal de Mafra" on-line.

Trabalhou em vários programas de televisão para crianças e é considerada uma das mais importantes escritoras portuguesas de literatura infanto-juvenil.

As suas obras foram traduzidas para várias línguas, como o alemão, o búlgaro, o castelhano, o galego, o catalão, o francês, o húngaro, o holandês, o russo, o italiano, o chinês, o servo-croata, o coreano.

 Obras:

Literatura infantil e juvenil

  • 1979 - Rosa, Minha Irmã Rosa--27ª ed. 2014
  • 1979 - Paulina ao Piano--5ªed. 1999
  • 1980 - Lote 12 - 2º Frente--16ª ed. 2009
  • 1981 - A Espada do Rei Afonso--13ª ed. 2010
  • 1982 - Chocolate à Chuva--25ª ed. 2013
  • 1983 - Este Rei que eu Escolhi--14ª ed. 2011
  • 1984 - Graças e Desgraças na Corte de El Rei Tadinho--20ªed. 2013
  • 1985 - Águas de Verão--10ª ed. 2010
  • 1986 - Flor de Mel--10ª ed. 2010
  • 1987 - Viagem à Roda do meu Nome--11ª ed. 2010
  • 1988 - Às Dez a Porta Fecha--8ª ed. 2015
  • 1990 - Úrsula, a Maior--9ªed. 2011
  • 1990 - Os Olhos de Ana Marta-- 7ª ed. 2010  1991 - Promontório da Lua--6ª ed. 2009
  • 1992 - Leandro, Rei de Helíria--24ª ed. 2015
  • 1997 - Se Perguntarem por mim, Digam que Voei--7ª ed. 2010
  • 1999 - Um Fio de Fumo nos Confins do Mar--3ª ed. 2011
  • 2001 - Trisavó de pistola à cinta e outras histórias--6ª ed. 2012
  • 2005 - Livro com Cheiro a Chocolate
  • 2005 - O Casamento da Minha Mãe
  • 2006 - Livro com Cheiro a Morango
  • 2007 - Livro com Cheiro a Baunilha
  • 2007 - O meu Primeiro Álbum de Poesia
  • 2008 - A Vida nas Palavras de Inês Tavares
  • 2008 - Livro com Cheiro a Caramelo
  • 2008 - A Charada da Bicharada
  • Contos de Grimm Para Meninos Valentes  2009 - A Que Sabe Esta História?
  • 2009 - Livro com Cheiro a Canela
  • 2010 - Contos de Andersen para Crianças Sem Medo
  • 2010 - Meia Hora Para Mudar a Minha Vida-- 2ª ed. 2015
  • 2010 - Livro com Cheiro a Banana
  • 2010 - A Arca do Tesouro (com CD, música de Eurico Carrapatoso, narração de Luis Miguel Cintra).
  • 2011--Contos de Perrault para Crianças Aventureiras
  • 2012--Histórias da Bíblia
  • 2012-- Expressões com História

Outras

  • 1986 - De que são Feitos os Sonhos
  • 1988 - As Mãos de Lam Seng
  • 1988 - O que Sabem os Pássaros
  • 1988 - As Árvores que Ninguém Separa
  • 1988 - Um Estranho Barulho de Asas
  • 1988 - O Tempo da Promessa
  • 1990 - Macau: da Lenda à História
  • 1991 - Corre, Corre, Cabacinha
  • 1991 - Um Ladrão debaixo da Cama
  • 1991 - Fita, Pente e Espelho
  • 1991 - A Adivinha do Rei
  • 1992 - Periquinho e Periquinha
  • 1992 - Maria das Silvas
  • 1993 - As Três Fiandeiras
  • 1993 - A Bela Moura
  • 1994 - O Pássaro Verde
  • 1994 - Eu Bem Vi Nascer o Sol

Literatura para adultos

  • 1997 - Praias de Portugal (com fotos de Maurício Abreu)
  • 1999 - Esta Lisboa (com fotos de António Pedro Ferreira)
  • 2004 - Bica Escaldada (crónicas)
  • 2006 - Pezinhos de Coentrada (crónicas)
  • 2007 - Dois Corpos Tombando na Água (poesia) - Prémio Literário Maria Amália Vaz de Carvalho  (2007)
  • 2008 - Tejo (com fotos de Neni Glock)
  • 2009 - O Que Dói às Aves (poesia)
  • 2011 - O Que se Leva Desta Vida (crónicas)
  • 2011 - Os Profetas (romance)
  • 2012-- O Mundo de Enid Blyton
  • 2012 -- O Livro da Avó Alice
  • 2013-- "Os Armários da Noite" (poesia) finalista do Prémio Pen-Clube

 Obras em conjunto com outros escritores

  • 2005 - Novos Mistérios de Sintra (romance)
  • 2006 - O Código de Avintes (romance)
  • 2007 - Eça Agora! (romance)
  • 2009 - 13 Gotas ao deitar (romance)
  • 2010 - Chocolate — Histórias de Ler e Chorar por Mais (contos)
  • 2011 - Picante - Histórias Que Ardem na Boca (contos)
  • 2013 - A Misteriosa Mulher da Ópera (romance) 

Prémios

  • 1979 - Prémio de Literatura Infantil Ano Internacional da Criança, com Rosa, Minha Irmã Rosa.
  • 1983 - Prémio Calouste Gulbenkian de Literatura Infantil, com Este Rei que Eu Escolhi.
  • 1994 - Grande Prémio Gulbenkian, pelo conjunto da sua obra.
  • 2000 Prix Octogone (França) --para a edição em francês de "Os Olhos de Ana Marta"
  • 2007 - Prémio Maria Amália Vaz de Carvalho, com o livro de poemas Dois Corpos Tombando na Água
  • 2010 Estrela de Prata do Prémio Peter Pan (Suécia) para a edição sueca de "Flor de Mel"

 

Fonte: "Alice Vieira." – Wikipédia, a Enciclopédia Livre. Web. 25 Jan. 2016.

Desafio : Quero partilhar com o Mundo...

Maio 01, 2020

agrupamentodeescolasdespedrodacova

 

 

Quero partilhar com o mundo o meu desejo de que o Covid- 19 seja exterminado; acabe a quarentena;  volte à rua para eu brincar e passear; volte à escola; assista a um jogo de futebol; e seja feliz.

Rodrigo Barbosa, 6ºD

Eu quero partilhar com o mundo:
•alegria
•esperança
•confiança
•união
• e amor.

Quero dizer que:
• tenho saudades de ir para a escola
• tenho saudades dos meus amigos
• tenho saudades de sair à rua
• tenho saudades de me sentir livre
• e tenho saudades da natureza.

Mariana Oliveira, 6ºD

 

Eu quero partilhar com o mundo...
-que acredito que tudo vai voltar ao normal;
-que se deve seguir as indicações dadas;
-força e esperança;
-que se deve ter imenso cuidado;
-que juntos somos mais fortes;
-que os verdadeiros heróis são os médicos;
-que as pessoas que nos ajudam estão a dar a vida por nós;
-que com uma simples vacina tudo pode voltar ao normal;
-que a quarentena deve ser cumprida!

Mara  Pinto, 6ºD

Desafio da Oficina de Escrita da RTP Memória: Escrever é ... ( 5 palavras)

Maio 01, 2020

agrupamentodeescolasdespedrodacova

 

95499393_1153652804973861_9093683124235141120_n.jp

Escrever é: 

ter criatividade/imaginação, divertir-me, aliviar o pensamento, deixar a tristeza de lado,e aventurar-me.

Iara Couto, 6ºD

Lindo, complicado, desafiante, interessante e realizador.

Rodrigo Barbosa, 6ºD


Desabafar, recordar o passado, e uma forma de conversar com a vida.

Vanessa Silva, 6ºD

 

Para mim, escrever é  criar, comunicar , explicar  e desabafar.

Martim Pinto, 6ºD

 

Para mim escrever é:
-criar
-imaginar
-desabafar
-contar
-mostrar positividade.

Mara Pinto, 6ºD

 

Escrever é... Inspirador, especial, fenomenal, arte e um desabafo.

Pedro Ribeiro, 5ºE

 

Escrever é... Criar e imaginar com as palavras.

Inês Cardoso, 5ºE

 

 

Desafio "Carta ao Mundo/ Futuro" (com dez palavras obrigatórias)

Maio 01, 2020

agrupamentodeescolasdespedrodacova

                                                                                                                                                         

                                                                                                                                                                                                                                                                                                                     29.04.20

Querido Mundo,
Eu estou ansioso por te dizer que já estou a delirar em casa.Nesta quarentena, eu ando a comer chocolate de mais. Eu só queria rebolar na relva verde.Todos os dias, estou sempre a olhar para o relógio, mas a hora não passa.Ando a jogar tanto que até me doem as mãos.Eu gostava de mergulhar na água do rio, mas não podemos por causa do Covid-19. Temos de guardar distância. A vida é assim. Queria experimentar uma coisa que nunca fiz, que é andar de cavalo, mas não posso. Vou mandar esta carta num envelope, para ti, Mundo. Espero que sejas ajudado.

Lisandro Ferreira, 6ºD

 

Querido Mundo,

Estou ansioso por te dizer que estou em casa em confinamento e não posso ir à escola.
Por vezes, eu e o meu irmão ajudamos a minha mãe a fazer um bolo de chocolate.
Quando olho pela janela do meu quarto, vejo uma linda árvore verde no jardim, mas também olho muitas vezes para o relógio, porque em casa o tempo custa a passar.
Tento seguir todas as recomendações, então lavo várias vezes as mãos e ensino o meu irmão a fazê-lo comigo.
Vi na televisão que a água dos rios está mais limpa, porque não há tanta poluição.
A distância que temos de ter uns dos outros deixa-me triste, pois não posso estar com os meus familiares e amigos.
Estou aprender que a vida é muito importante. Temos de estar bem para fazermos o que gostamos.
Quando isto acabar, voltaremos a fazer as nossas atividades preferidas, e eu até gostava de aprender a andar a cavalo.
Vou enviar esta mensagem, para ti, querido Mundo, dentro de um envelope.

Ricardo Moreira, 6ºD

 

Meu querido Mundo,

Estou ansioso por te dizer que estou saturado de estar dentro de casa em confinamento ,isto da quarentena não e fácil .Mas tem coisa boas: apendi a fazer bolos de chocolate com a minha mãe e a minha irmã. Mas tenho muitas saudades de sair de casa para ver as paisagens verdes e lindas. Sabes, isto agora não há horas para nada ,não precisamos de relógio para nada, as horas passam muito devagar .
Com esta terrível doença, sabes, temos que lavar as mãos bastantes vezes como nos mandam, mas não podemos fazer em exagero, ou gastamos muita água, e fica caro. Sabes que em Gondomar a água é cara .

Há uma coisa que não gosto: a distância é terrível , dolorosa ,mas temos que saber que a vida é feita de momentos, e neste momento é assim que estamos . Quando puder sair, vou aprender a andar a cavalo, que deve ser muito fixe . Assim me despeço com esta carta, que te vou enviar neste envelope, para que a possas ler .

Rodrigo Barbosa, 6ºD

 

Querido Mundo,
Eu já estou farta de estar em casa. Mas também aprendi a fazer bolo de chocolate. Já tenho saudades de poder sair de casa e tocar na relva verde. Neste tempo de quarentena, não paro de olhar para o relógio, porque o tempo nunca mais passa. Neste momento de COVID-19, é necessário lavar bem as mãos. Agora,  muitas pessoas estão a gastar água, porque a maioria das pessoas fica em casa, de quarentena. A distância é muito difícil, porque temos de estar longe dos nossos amigos, professores e familiares. Mas a vida é mesmo assim, com dificuldades.Todos juntos vamos conseguir ultrapassar este momento do coronavirus. Quando esta quarentena acabar, vou realizar alguns sonhos, e um deles é andar a cavalo, porque sempre tive curiosidade de saber qual é a sensação de andar a cavalo. E chego agora ao fim desta minha carta que te vou  enviar, dentro de um envelope.

Mariana Almeida, 6ºD

 

Querido Mundo,
Eu estou ansioso por te dizer que estou farto de estar em casa. Espero brevemente poder ir à rua comer um gelado de chocolate, de preferência no Gerês, porque o verde acalma-me.Quando lá vou,
estou sempre a olhar para o relógio para poder dar um mergulho. Esfrego as mãos de tanta ansiedade, porque gosto daquela água cristalina do Gerês. A distância dos meus amigos está a deixar-me triste.Esta vida é difícil. Já viste, ser uma criança e não poder brincar na rua?!
No Gerês muita gente anda de cavalo.
O Covid-19 devia ser enfiado num envelope e autodestruir-se.

Martim Rocha, 6ºD

Querido futuro,

estou ansioso por te dizer que te imagino sem a pandemia, vejo-nos  a sair de casa ,  a celebrar com os nossos familiares, a comer chocolate , a ver o pôr-do-sol com as árvores verdes e as plantas a balançar. Depois o tempo deixará de passar tão lento, dentro do relógio.Vamos sempre lavar as mãos com água , porque somos civilizados e cuidamos da nossa higiene, mas  já não vamos estar à distancia dos nossos amigos, pois poderemos seguir  as nossas vidas normais . Até experimentaremos andar de cavalo, quem sabe?

Vou enviar-te esta carta dentro de um envelope selado  com esperança.

Martim Pinto, 6ªD

 

 

Desafio da RTP Memória: Português 2º ciclo (20/4) - O retrato do Príncipe Nabo

Abril 21, 2020

agrupamentodeescolasdespedrodacova

 

 

94259811_3037612876302623_581792318546247680_n.jpg

Gonçalo Ribeiro, 5ºE

O Príncipe Nabo era alto e magrinho. Tinha cabelo castanho, nariz pequenos e os seus olhos brilhavam com o sol. Por onde passava, todos ficavam de olho nele.
Para além disso, era muito carinhoso e adorava os animais. Falava pouco com as pessoas que não conhecia, mas com as pessoas de quem gostava podia ficar horas a falar.
O Príncipe Nabo tinha, sem dúvida, um grande coração.

 

IMG_20200421_212514.jpg

 

Inês Cardoso, 5ºE

Para mim, o Príncipe  é um jovem, de estatura média e muito elegante. Tem uma vasta cabeleira castanha,rosto oval,seus olhos são brilhantes e vivos. O seu nariz é pequeno e estreito, e a sua boca é pequena, de lábios finos e de  cor avermelhada.
É amigo do seu amigo, simpático, honesto, um pouco falador, mas todas as pessoas que o encontram ficam encantadas com tal dedicação e preocupação para com os outros.
O Príncipe ideal para qualquer Princesa!

 

desenho.jpg

 

Lara Barbosa, 5ºE

O PRÍNCIPE É JOVEM, DE ESTATURA MÉDIA, COM CABELO CASTANHO CLARO, ROSTO OVAL,OLHOS CASTANHOS BONITOS,A SUA BOCA TEM LÁBIOS FINOS E COR CLARA,O SEU NARIZ PARECE UMA BATATA E É MUITO PEQUENO.

É FORTE, AMIGÁVEL, NUNCA MENTE E FALA POUCO, E TODAS AS PESSOAS SÃO MUITO GENTIS COM ELE, PELA SUA SIMPATIA!.

PERFEITO PARA UMA PRINCESA QUE EXIGE MUITO.

pn.gif

 




 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D